VV

E eu já ouvi! “Travelling like the light” traz o estilo 60´s meets eletro da cantora e muito, muito mais. Quem já conhece (VV Brown já esteve por aqui), está esperando por esse album faz tempo. Quem não conhece, devia procurar conhecer voando, porque é coisa finíssima.

Os três singles da cantora, lançados desde o ano passado, estão no disco: “Crying blood”, “Leave!” e “Shark in the water” foram só um pequeno aperitivo do que vinha por aí. Não que fossem ruins, mas não dá pra ter noção do que VV é capaz só por essas canções. Não dá pra saber, por exemplo, do que a cantora é capaz de fazer com seus backing vocals. Eles dão um toque mais do que especial em quase todas as faixas, sempre com arranjos elaborados e em acorde com os sintetizadores. Quem gosta do clima retrô (que já aparecia nos singles) vai se acabar com “Quick fix” ,“Bottles” e “L.O.V.E“, uma coisa meio Beatles na época de “Twist and shout”, tipo pura festa!

Falando em festa, é incrível o clima de “baile de formatura americano” de “I love you” e “Travelling like the light”, faixa que dá nome ao album. Não dou nem um ano pra uma das duas (senão ambas) aparecerem como trilha sonora de algum filme adolescente. Sabe aquela cena em que o casal se vê sozinho no salão, dançando abraçadinho, enquanto um holofote ilumina a cantora solitária no palco? Pois é…

E se o assunto é filme, “Crazy Amazing” lembra bastante a trilha de “Quero ser grande” (aquela no piano, do final, sabe?). Só que tem um coro, batidas divertidas e uma das melhores interpretações de VV Brown, que canta, compõe e toca quase todos os instrumentos de suas próprias músicas.

VVB

Aliás, ela brilha absoluta. Tem os vocais, a instrumentação bem feita, os arranjos cuidadosos, mas a interpretação descontraída e divertida da garota rouba a cena. São gritinhos, suspiros e aquela voz meio “jazzy” que a gente gosta fazendo música da boa, com muita personalidade.

Conselho de amigo? Ouve “Travelling like the light”. AGORA.

Anúncios