Oi. Meu nome é Dimas Tadeu e eu estou viciado. Demorou pra eu ter coragem de vir aqui e falar pra todos vocês, mas dizem que a melhor forma de se resolver um problema é dividindo com os outros, não é mesmo? Tudo começou quando eu ouvi essa musiquinha numa viagem pra praia (começa no 0:40):

De repente tudo tinha ficado tão fofo, tão bonitinho. Essa coisa meio “Armandinho gringo” tomou conta de mim e antes que eu pudesse perceber estava cantarolando por aí. É, amigos. Quando você menos espera já está viciado. E não é uma coisa solitária, sabe? Você sente que tem um monte de gente na mesma onda que você. Lembra dos Green Envy? Pois é. Eles estavam na mesma vibe…

Sabe, eu tentei parar. Procurava me distrair com outras coisas, mas não adiantava. Não saía da minha cabeça. E quando eu pensava que finalmente estava livre, um tal de Wade Johnston (tipo uma versão masculina da Mallu Magalhães) surge do nada e me oferece outra vez. Ao som do ukulele, fazendo as duas vozes e a percussão, tudo sozinho, além de ser uma graça. Lá ia eu de novo. I´m yours. Totally yours.

E de repente você percebe que está no fundo do poço. Que não tem mais saída. Chega um dia em que você já não faz mais questão da “boa”, aceita um similar nacional… E aí, cara, você se vê ouvindo Tomate. Cheguei ao meu limite.

E foi por isso que resolvi vir até aqui. Tirei os fones do ouvido, deletei a música do Ipod e estou tentando ficar limpo. Tenho certeza que com a ajuda de vocês eu vou conseguir. Por hoje, não! Obrigado.

Anúncios