Fico fora por algumas horas e a net explode em indignação por causa de um comercial de Doritos. Aí eu saí procurando e achei o pomo da discórdia. Se liga:

Por causa disso, a bicharada tá MA-LU-CA, dizendo que o comercial ofendeu todo mundo. Ok, ok. Mas assim… eu tenho algumas considerações a fazer, começando pelo fato de que concordo com que o Cidão postou lá no “Hablando Más”. Afinal, alguém ficaria ofendido se a publicidade fosse o contrário? Tipo, um hetero que começasse a falar de futebol entre as bichas e portanto, parecesse um ogrão antiquado? Não. Nem os heteros, que achariam engraçado (a despeito dos poucos que achassem ridículo) e, dependendo do tom, até moderninho. Quer prova? Olha eles fazendo piada consigo mesmos no comercial da Skol:

Tá vendo? Nenhuma revolta, no boicote. Eles mesmos sabem que o legal é “rir da vida. (a propósito, por que será que os gays que adoram uma cervejinha nunca se revoltaram com as publicidades heteronormativas de cerveja e resolveram fazer um boicote, hein?)

E no caso das mulheres? As loiras ficam ofendidas quando o cara escolhe a morena? Sendo ainda mais “radical”, alguém fica ofendido porque a garota que faz o comercial de tal produto de beleza tem olhos CASTANHOS e isso talvez queira dizer que só as mulheres assim mereçam ser bonitas? Acho que não, né?

Olha, eu acho que enquanto chamar alguém de gay for motivo de vergonha (ou de indignação e etc.), então é porque alguém deve ter vergonha de ser gay. Simples assim. E usar o ridículo a favor do “zoado” não cola. Olha esse comercial do lançamento da TV de alta definição (HDTV) em Israel:

É ridículo, é absurdo, tem YMCA (dançado por RABINOS… Imagina se fossem padres)… Mas garanto que a HDTV vendeu bem em Israel… Será que é por que judeu cansou de ser vítima desde os campos de concentração?? Vou ali comer um Doritos enquanto penso nisso…

Anúncios