Tá rolando uma exposição de arte super legal lá na Islândia. O museu de arte de Reykjavik apresenta uma exposição sobre xadrez até o dia 13 de Abril. Tudo pra comemorar a aquisição dessa obra da Yoko Ono

chess

É, eu também não achei a dela TÃO legal assim. Me lembra o “xadrez de bruxo” do Harry Potter, sei lá porque. Mas tem um monte de coisa legal na exposição. Põe na tela:

mack1Orgânico amorfo, do inglês Alastair Mackie (2008). Na bienal do ano passado, um amigo, estudante de artes plásticas, disse que taxodermia era a última moda no cenário artístico internacional. Pelo visto, ele sabia o que tava falando.

artwork_images_424711062_241240_matthew-ronayNem precisa dizer que o autor da obra acima, Matthew Ronay, é americano, né? Adoro a “concepção” dele de xadrez. O nome da peça é “Lá nos arbustos” (Over there in the bushes – 2005)

damien_hirstEscapologia mental (2003), de Damien Hirst. Aliás, é outro taxodermista. Hirst ficou famoso por colocar animais em tanques gigatescos e fazer crânios cravejados de diamantes, lembra? Acho ele meio obcecado por vida e morte. E isso tá meio que presente no tabuleiro hipocondríaco do cara.

cattelan

Essa do Maurizio Cattelan é uma das minhas prediletas. Sem-título (bem contra o mal) (2003) é uma sacada e tanto do italiano. Esse aí é o lado do mal e tem a Cruela De Ville, Hitler, Salomé (adoro ela) e a árvore de Adão e Eva. O lado do bem, do qual eu não consegui foto, tem Madre Teresa de Calcutá e Martin Luther King. Eu adoro o trabalho de Cattelan desde que ele fez essa escultura

cattelan-la-nona-ora-1999Em “A nona hora” (de 1999) o artista “acertou” o papa João Paulo II com um meteoro no meio da galeria de arte. Bom, né?

Anúncios